Início » Uncategorized » Sob a Terra do Sol, a Terra dos/as esquecidos/as – #DesarquivandoBR #CumpraSe

Sob a Terra do Sol, a Terra dos/as esquecidos/as – #DesarquivandoBR #CumpraSe

Hoje, em algumas capitas do Brasil, estão sendo feitos atos públicos de um movimento intitulado CUMPRA-SE. O objetivo é pressionar as autoridades para que haja integralidade no cumprimento da sentença do caso Guerrilha do Araguaia, já julgada pela Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA, que considera a condenação dos crimes cometidos pelos militares como imprescidíveis.
Essa sentença aconteceu a um ano atrás e as autoridades brasileiras vem “empurrando com a barriga”, parecendo haver interesse de manter a anistia desses assassinos e criminosos. Por que será eih?
Para entender com detalhes a que pé estão as coisas, sugiro que leiam esse post “Quarta Blogagem Coletiva #desarquivandoBR, pela revisão da Lei da Anistia”.
Bom, como havia dito no início da nossa conversa, hoje, dia 14/12/2011, várias pessoas, entre militantes, movimentos sociais, vítimas e familiares das vítimas da ditadura, estão promovendo atos públicos, no sentido de pressionar o governo brasileiro no cumprimento de todos os pontos recomendados pela Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA.
Faz três dias que vasculho a internet e, para a minha decepção, não encontro nenhuma movimentação a cerca desse assunto aqui no Ceará. Como assim o Ceará não vai promover nada (a ponto de não ter uma mínima convocação nas redes sociais)? Esquecemos que a história de repressão, assassinatos, torturas e demais violências também passaram por aqui durante a era militar?

Para refrescar a memória:

Os governos do Ceará na Era Militar foram marcados por grandes perseguições políticas a deputados, com a prisão e tortura de estudantes e trabalhadores, tendo ocorrido inclusive atentados a bomba em Fortaleza;

Existem vários/as desaparecidos/as políticos e mortos cearenses, dentre eles: Anthônio Teodoro (ex-diretor da Casa do Estudante da UFC); Saraiva Neto; Jana Moroni; David Capistrano; José Armando Rodrigues; e tantos/as outros/as que se somam aos 380 mortos e desaparecidos no Brasil…

Vários cearenses de esquerda participaram e foram assassinados durante a Guerrilha do Araguaia, da cerca de 80 pessoas que participaram da guerrilha, menos de 20 sobreviveram!!!

Parece-me que a estratégia de “modernização” e “desenvolvimento” do estado, colocado em ação pelos políticos militaristas/coronelistas na época da ditadura, que transformaram o nosso estado hora em quintal produtivo (marcado pela isenção de impostos, exploração dos nossos recursos naturais e dos/as nossos/as trabalhadores/as), hora em lugar de entreternimento, lazer e diversão nos moldes de um turismo de massa (marcada pela expropriação de comunidades tradicionais, exploração sexual, consumo de drogas) invisibilizou a luta daqueles que tombaram pela democracia do país e cuja história ainda está para ser contada.
E são esses mesmos políticos (eles e seus sucessores) militaristas/coronelistas que gozam de grandes privilégios políticos e sociais no nosso Estado, ganhando nome de escolas, praças, construindo mausoléus, recebendo cliques nas colunas sociais dos jornais, etc, que serão eternizados pela história.
É preciso que nós cearenses lembremos que a Terra do Sol é também a Terra do Sangue, do Silenciamento, das Torturas, das Opressões e da Repressão e que não seria justo com aqueles que morreram, retroceder ou ficar apáticos na arena de disputas e de luta pela justiça, soberania e democracia do e no nosso país e para os/as brasileiros/as.

PS: Peço, a onde chegar esse texto, que alguma coisa seja feita: criemos fóruns, grupos, mobilizações, articulações com as famílias dos/as desaparecidos/as e acima de tudo veiculação de informações e dados.
Em janeiro queremos iniciar um debate aqui no Ceará sobre esse assunto, quem puder/quiser chegar junto, entrar em contato com ftiagocosta@gmail.com!

Anúncios

1 Comentário

  1. […] Sob a Terra do Sol, a Terra dos/as esquecidos/as – Francisco Tiago Costa  ‎”Os governos do Ceará na Era Militar foram marcados por grandes perseguições políticas a deputados, com a prisão e tortura de estudantes e trabalhadores, tendo ocorrido inclusive atentados a bomba em Fortaleza; Existem vários/as desaparecidos/as políticos e mortos cearenses, dentre eles: Anthônio Teodoro (ex-diretor da Casa do Estudante da UFC); Saraiva Neto; Jana Moroni; David Capistrano; José Armando Rodrigues; e tantos/as outros/as que se somam aos 380 mortos e desaparecidos no Brasil… Vários cearenses de esquerda participaram e foram assassinados durante a Guerrilha do Araguaia, da cerca de 80 pessoas que participaram da guerrilha, menos de 20 sobreviveram!!!” […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: